O que fazer no Alentejo, Comporta e Setúbal, em Portugal

Fugir da zona mais conhecida dos países queridinhos da atualidade pode ser surpreendente. Que tal fugir do eixo Lisboa-Porto, em Portugal, e se surpreender

Fugir da zona mais conhecida dos países queridinhos da atualidade pode ser surpreendente. Não é de hoje que Portugal está no top da lista de desejo de destinos europeus dos brasileiros. Que tal fugir do eixo Lisboa-Porto e se surpreender com o Alentejo?

O Alentejo é a maior região de Portugal e uma das menos povoadas da Europa. Ele faz fronteira com a Espanha ao leste, e compreende integralmente os distritos de Portalegre, Évora, Beja, a metade sul do distrito de Setúbal e parte do distrito de Santarém.

JÁ SEGUE O TRIP TO FOLLOW NO INSTAGRAM? @TRIPTOFOLLOW

O Trip To Follow viajou para lá em maio deste ano para conhecer dois hotéis incríveis, o São Lourenço do Barrocal e o Sublime Comporta e aproveitou para fazer atividades e conhecer lugares surpreendentes.

Leia também

Por lá você encontra de tudo, do sossego, nos meses mais frios, e até a badalação, principalmente nos meses mais quentes. Afinal, é uma região que mistura perfeitamente o clima de praia e campo e todas as vertentes que elas oferecem.

Nossa primeira parada por lá foi no São Lourenço do Barrocal, que fica no coração do Alentejo, bem ao leste de Portugal, e em uma área muito privilegiada naturalmente e culturalmente.

São Lourenço do Barrocal (Foto: Trip To Follow)

São Lourenço do Barrocal (Foto: Trip To Follow)

Pertencente a mesma família há 200 anos e transformado em hotel só em 2016, quando abriu as portas para os primeiros hóspedes, o São Lourenço do Barrocal mantém seus prédios e reúne centenas de fotos e objetos antigos que foram perfeitamente adaptados na decoração atual. Aqui você lê mais sobre esse hotel incrível.

Em sua volta estão vilarejos medievais, vinhas e muitas opções de atividades que talvez você nunca tivesse pensado em fazer. Veja abaixo dicas do que fazer e visitar quando você estiver por lá.

… Quando você estiver hospedado no São Lourenço do Barrocal.

|Monsaraz

Uma das entradas de Monsaraz (Foto: Trip To Follow)

Uma das entradas de Monsaraz (Foto: Trip To Follow)

Lá do hotel, já dava para avistar essa cidade especial, no alto de uma colina. De fato, Monsaraz está muito perto do São Lourenço do Barrocal, apenas 10 minutos do quarto. E não é por acaso que a pequena cidade amuralhada também é conhecida como “O Alentejo perto do Céu”.

A cidade foi uma grande e positiva surpresa durante nossa estadia por lá. Ela fica na sub-região do Alentejo Central, faz parte do conselho de Reguengos de Monsaraz, cidade vizinha e pertence ao Distrito de Évora.

Uma das povoações alentejanas mais antigas de Portugal te leva para uma viagem no tempo. As construções originais feitas de cal e xisto (pedra também conhecida como “lousa” pelos portugueses) foram mantidas.

As pequenas casinhas brancas com portas baixas e janelas charmosas e floridas dividem a colina com o castelo, a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Lagoa, o Museu do Fresco, o Pelourinho de Monsaraz, alguns restaurantes, lojinhas e inúmeras ladeiras.

Monsaraz pede calma, pede atenção em suas peculiaridades. Sua muralha tem 4 grandes e imponentes portas principais cheias de história: Porta da Vila e Porta d’Évora, com arco gótico, e Porta d’Alcoba e Porta do Buraco, com arco pleno.

Seu castelo foi construído no século XIV e é considerado um Monumento Nacional. Tudo isso fica sobre o maior lago artificial da Europa e uma das maiores obras portuguesas atuais, a Barragem de Alqueva.

Ruas charmosas de Monsaraz (Foto: Trip To Follow)

Ruas charmosas de Monsaraz (Foto: Trip To Follow)

Se você tiver um bom preparo físico, pode optar por chegar de Monsaraz de bicicleta. Isso mesmo! O São Lourenço do Barrocal deixa à disposição dos hóspedes bicicletas para que eles façam passeio por toda a herdade ou para regiões próximas. Fiquei com vontade! Outra opção também oferecida pelo hotel é ir até lá a cavalo. Cena de filme, né?

Em 2017 Monsaraz venceu o concurso das 7 Maravilhas de Portugal na categoria “Aldeias Monumento”.

|Estremoz

Torre de Menagem, em Estremoz (Foto: Trip To Follow)

Torre de Menagem, em Estremoz (Foto: Trip To Follow)

Um pouco mais distante do São Lourenço do Barrocal, cerca de 55km, 1 hora de carro, mas ainda no Distrito de Évora, na região do Alentejo, está Estremoz, também conhecida como “cidade branca do Alentejo” pela grande produção de mármore.

A extração do mármore de Estremoz fez com que Portugal ficasse com a segunda posição entre os países que mais exportam a matéria-prima no mundo.

A cidade, apesar de ser bem maior que Monsaraz, também é amuralhada e tem um castelo do século XIII. Para entrar em Estremoz é preciso cruzar uma das 4 portas: Porta de Santo António, Porta de Santa Catarina, Porta dos Currais e Porta de Évora. O Castelo de Estremoz tem a Torre de Menagem, com 28 metros, construída em mármore e também considerada umas das mais belas Torres de Menagem de Portugal.

Hotel que fica no Palácio de Estremoz (Foto: Trip To Follow)

Hotel que fica no Palácio de Estremoz (Foto: Trip To Follow)

A cidade era antigamente protegida por essa torre, que hoje em dia está aberta para visitação. Nós infelizmente não conseguimos subir ao seu topo porque estava fechado devido aos fortes ventos daquele dia. Questão de segurança.

Aos seus pés está a Pousada Castelo Estremoz, que mantém algumas características medievais, tem várias peças de antiguidade e está aberto à visitação.

|Vila Viçosa

Paço Ducal, em Vila Viçosa (Foto: Trip To Follow)

Paço Ducal, em Vila Viçosa (Foto: Trip To Follow)

Ainda no Distrito de Évora, na região do Alentejo, está outra vila chamada Vila Viçosa, com menos de 10 mil habitantes.

Nossa parada por lá foi especialmente para conhecer o Paço Ducal, que foi durante séculos a sede da Casa de Bragança, uma importante família nobre fundada no século XV.

Por fora ele é bem bonito e fotogênico, todo feito em mármore e fica em uma praça central da cidade.

Atualmente o palácio funciona como museu e reúne obras de arte, mobiliário, esculturas e retratos antigos. A cozinha, por exemplo, abriga uma das maiores coleções de baterias de cozinha, em cobre. Além disso, as antigas cocheiras servem como garagem de carruagens que transportavam a família real antigamente.

Para entrar é preciso pagar 5 euros. Nosso tempo estava curto e não conseguimos entrar. Mas passear pela praça e cruzar a cidade, mesmo que de carro, vale muito a pena.

|Quinta Dona Maria

Quinta Dona Maria (Foto: Trip To Follow)

Quinta Dona Maria (Foto: Trip To Follow)

A Quinta Dona Maria fica em Estremoz e é um passeio imperdível, principalmente para os amantes de vinho.

O casarão datado do século XVIII hoje é ponto de referência pela sua beleza, sua história e pela qualidade dos vinhos que produz há séculos.

O jardim, logo que chegamos, já é bem impactante (mesmo com a garoa que pegamos). É grande, lindo e imponente. Mas mal poderíamos imaginar o que nos esperava lá dentro. O interior da capela e da casa são feitos de azulejos do século XVIII e mármore típico da região.

A história diz que a Quinta foi adquirida por D.João V para oferecer a uma cortesã, D.Maria, por quem estava apaixonado. E foi ela quem deu nome à Quinta e ao vinho que é produzido até os dias de hoje.

Atualmente a Quinta também é conhecida como Quinta do Carmo porque anos depois o terreno ganhou uma capela, datada de 1752, dedicada a Nossa Senhora do Carmo.

Por lá, além de conhecermos toda a história da Quinta, também pudemos conhecer todo – literalmente – processo de produção de vinho, inclusive a etapa de engarrafamento, que é incrível!

Quinta Dona Maria (Foto: Trip To Follow)

Quinta Dona Maria (Foto: Trip To Follow)

Em seguida fizemos uma prova combinada com queijos. Destaque para o Dona Maria Rosé, queridinho do nosso grupo durante a visita.

A Quinta Dona Maria oferece 5 tipos diferentes de prova de vinhos, sendo a mais completa com todos os rótulos, que sai por 35 euros + IVA.

Endereço: Quinta do Carmo, 7100-000 Estremoz, Portugal

|Olaria Bulhão

Olaria Bulhão (Foto: Trip To Follow)

Olaria Bulhão (Foto: Trip To Follow)

Uma vez no Alentejo, é quase uma obrigação você fazer uma imersão em uma olaria e ver como são feitas as famosas peças de cerâmica. Mas por que não colocar a mão na massa, literalmente? Foi que fizemos durante nossa visita na Olaria Bulhão, que existe desde 1975.

Mesmo com a tecnologia e modernidades, a olaria se mantém o mais artesanal possível e grande parte da produção é feita através da roda de oleio artesanal.

A pequena empresa é familiar e assim que chegamos fomos recebidos como se fossemos da família. Todos lá foram muito queridos e transformaram nossa visita ainda mais especial.

Pudemos conhecer os antigos fornos onde as peças eram colocadas, além de ver a produção completa. Desde o simpático vovô que estava bastante empolgado em fazer várias peças para nós, quanto a senhorinha que delicadamente pintava à mão as peças já secas.

Olaria Bulhão (Foto: Trip To Follow)

Olaria Bulhão (Foto: Trip To Follow)

Quando chegou nossa hora de tentar, foi incrível. E, nossa, como é difícil! Valorize trabalhos artesanais! O processo não é nada fácil, mas mesmo assim vale tentar. Além de levar sua peça para casa, você pode comprar uma das que estão disponíveis por lá. E eu garanto, tem uma coisa mais linda que a outra.

Com certeza foi uma das experiências mais especiais e marcantes que tivemos por lá. Obrigada, Olaria Bulhão.

Endereço: Rua 1º de maio nº 2, 7200-142 São Pedro do Corval, Portugal

|Experiências no São Lourenço do Barrocal

Além das experiências fora do hotel, o São Lourenço do Barrocal oferece várias experiências por lá. Entre elas, todas as experiências gastronômicas, como piquenique no jardim ou no antigo forno de chão, workshop de drinques autorais, passeio de bicicleta pela herdade e passeio a cavalo. Leia mais sobre nossa experiência no São Lourenço do Barrocal.

Workshop de drinques do São Lourenço do Barrocal (Foto: Trip To Follow)

Workshop de drinques do São Lourenço do Barrocal (Foto: Trip To Follow)

Nossa segunda parada foi o Sublime Comporta. Comporta é um lugar único e tem uma energia incrível. Não só por aqueles que te recepcionam no próprio hotel, nos restaurantes beira mar ou nas lojinhas de rua, mas também pela perfeita mistura da atmosfera rural com a praiana. Se tem combinação melhor, desconheço.

Bio-pool-suítes no Sublime Comporta (Foto: Trip To Follow)

Bio-pool-suítes no Sublime Comporta (Foto: Trip To Follow)

Lareira acessa, boa comida, bons vinhos e um acolhimento caloroso são perfeitos para aquecer os dias mais frios em um hotel que mais lembra uma country house. Nos dias mais quentes, basta escolher sua praia favorita ali e curtir o sol. Comporta tem opções bem descoladas de restaurantes, praias, mas também tem opções que te levam ao passado. Veja abaixo dicas do que fazer e visitar quando você estiver por lá.

… Quando você estiver hospedado no Sublime Comporta

|Comporta Café

Nosso grupo durante o almoço no Comporta Café

Nosso grupo durante o almoço no Comporta Café

Vamos começar nossas dicas na região falando de comida boa. O Comporta Café é uma boa opção para quem quiser chegar na região e já sentir o clima da praia aos pés. Ele fica praticamente na areia da praia da Comporta, Península de Tróia e abre no almoço e no jantar.

O ambiente é uma delícia, com decoração bem praiana. Se você tiver sorte, opte por uma mesa na sacada, que fica ainda mais pertinho da praia.

O Comporta Café oferece um menu com comida típica portuguesa, mas também opções mais fresh e muitos frutos do mar. Tivemos um almoço delicioso e farto. Ah! Não deixe de experimentar a sangria, estava incrível!

As entradas partem de 5 euros (linguiça grelhada) e vão até 95 euros (camarão tigre, para compartilhar). O queijo de cabra gratinado com doce de tomate estava maravilhoso (11,50 euros).

Praia onde fica o Comporta Café (Foto: Trip To Follow)

Praia onde fica o Comporta Café (Foto: Trip To Follow)

O restaurante também oferece sopas e saladas, entre 5 e 18,50 euros, além de pratos vegetarianos, entre 14 e 18,80 euros, e os pratos principais, que incluem mariscos, peixes, carnes, massas, risotos e hambúrgueres. Destaque para o risoto de alheira (17,50 euros) e para a massa com camarões (49 euros).

Endereço: Praia da, 7680-612 Comporta, Portugal

|Sal

Interior do Restaurante Sal (Foto: Trip To Follow)

Interior do Restaurante Sal (Foto: Trip To Follow)

Já que estamos falando de comida boa, reserve um jantar ou um almoço para conhecer o Restaurante Sal. Aliás, “reserve” no sentido literal da palavra. Na alta temporada principalmente, o Sal é um dos restaurantes mais concorridos da região.

Localizado na Praia do Pego é, sem dúvidas, um dos points mais badalados da região. Apesar de badalado, o ambiente não é nada luxuoso, mas extremamente agradável e com clima de praia, com miniaturas de barcos e outros itens decorativos que remetem ao mar. Não é para menos, ele foi instalado na areia da praia.

Mais um restaurante que merece ser apreciado da varanda, com o mar do Atlântico ao fundo. Não é por acaso que o restaurante Sal tenha sido eleito pela Condé Nast Traveler como o melhor bar de praia do mundo em 2015.

Localização perfeita, pratos deliciosos e vista incrível é tudo que você precisa na sua passagem pela região.

No cardápio, opções para todos os gostos. Aproveite a visita para provar um dos tradicionais vinhos Herdade de Comporta. A garrafa do rosé custa 21 euros. As entradas vão de 8 euros (salada de feijoca) até 21 euros (ameijoas à bulhão pato).

Lala Rebelo, Paty Ruzene, César Santos, Pimpa Brauem, Priscila Quirós e eu após almoço no Sal

Lala Rebelo, Paty Ruzene, César Santos, Pimpa Brauem, Priscila Quirós e eu após almoço no Sal

O Sal também tem pratos vegetarianos (a salada de cous cous é incrível e custa 16,50 euros), além de peixes, grelhados, mariscos, carnes e acompanhamentos. Provamos o robalo (80 euros o quilo) e de sobremesa apostamos na torta de leite condensado (6 euros).

Endereço: Praia do Pego, 7570-783, Portugal

|Gomes

Restaurante Gomes (Foto> Trip To Follow)

Restaurante Gomes (Foto> Trip To Follow)

Se você procura pela culinária alentejana, mas no centrinho da cidade, Largo de São João, uma boa opção é o Gomes.

O restaurante já nos conquistou pela localização, com uma praça cheia de mesinhas para desfrutar de um bom drinque com aperitivos, e também pela sua decoração interna. Destaque para o tronco de árvore no teto do restaurante.

O ambiente charmoso foi construído onde antigamente tinha um celeiro. Além de petiscos deliciosos, é um ótimo lugar para você experimentar bochecha de porco preto ou morcilla de porco branco.

Restaurante Gomes (Foto> Trip To Follow)

Restaurante Gomes (Foto> Trip To Follow)

O Gomes tem várias opções para você beliscar, como as tábuas de entrada que vão de 1 euro (tremoços) a 19,80 euros (tábua de enchidos), além de saladas e pasteis, que ficam entre 4,95 e 11,50 euros.

Endereço: 7580-642 Comporta, Portugal

|Avistamento de golfinhos

Barco do avistamento de golfinhos

Barco do avistamento de golfinhos. Na foto Pimpa Brauen, Priscila Quirós, Lala Revelo, Paty Ruzene, César Santos e eu

Curtir a Serra da Arrábida é uma boa opção quando você estiver na região. Quando estiver em Comporta, você pode pegar um barco que sai de Tróia e ir para Setúbal fazendo o avistamento de golfinhos.

Nós fizemos o passeio, mas não tivemos tanta sorte. Como estava frio e garoando, tivemos que encurtar o passeio (porque quisemos. Os passeios podem continuar nessas condições). Os golfinhos da região são o Roaz e eles vivem em um pequeno grupo nas águas que ligam Tróia a Setúbal.

Chegada em Setúbal após a tentativa de avistamento de golfinhos (Foto: Trip To Follow)

Chegada em Setúbal após a tentativa de avistamento de golfinhos (Foto: Trip To Follow)

Tenho certeza que esse seria um ponto alto da viagem, já que observação de animais (seja ele qual for) em seu habitat natural é algo muito especial para mim. Quem sabe na próxima, né? Mais um bom motivo para voltar.

São várias as empresas que fazem esse passeio e os valores variam de acordo com as horas dedicadas a ele.

|Portinho da Arrábida

Visual do Portinho da Arrabida (Foto: Trip To Follow)

Visual do Portinho da Arrabida (Foto: Trip To Follow)

Fugindo um pouco de Comporta, mas não muito distante (aproximadamente uma hora de carro) está o Portinho da Arrábida, no distrito de Setúbal.

O lugar é charmoso, reúne bares, restaurantes e casinhas charmosas e, como fica próximo a uma ladeira, tem um visual incrível para o mar.

Encontramos uma raposinha na estrada (Foto: Trip To Follow)

Encontramos uma raposinha na estrada (Foto: Trip To Follow)

Dedique alguns minutos para curtir a ponte ou descer até as pedras e chegar um pouco mais perto do mar. Se você preferir, por praticar stand up paddle, caiaque ou até mesmo mergulho. Se você tiver mais tempo, pode conhecer várias praias paradisíacas e de areia branquinha da região.

|Workshop de azulejos

Quando estiver na região de Setúbal e da Serra da Arrábida, coloque no seu roteiro mais uma experiência incrível: workshop de pintura de azulejos.

Nós fomos até a Vila Fresca de Azeitão, uma aldeia pertencente à freguesia de S.Simão de Azeitão, situada no Parque Natural da Serra da Arrábida. Conhecemos a fábrica S.Simão-Arte e aprendemos como se pinta um verdadeiro e típico azulejo português.

Além da aula sobre a produção de um azulejo, aprendemos a identificar quando ele é artesanal ou industrial (curiosos podem me perguntar hehe) e dedicamos uma hora para fazer nossa própria arte.

Resultado final da minha pintura em azulejo português (Foto: Trip To Follow)

Resultado final da minha pintura em azulejo português (Foto: Trip To Follow)

Tinta azul, pincel fino e mãos à obra. Confesso que até gostei do resultado final. Uma pena é não poder levar a peça para casa (não daria tempo de secar). Eu amei a experiência, ficaria horas ali aprimorando minhas habilidades.

Endereço: Rua Almirante Reis, nº 86, Vila Fresca de Azeitão, 2925-486 Azeitão, Portugal

|Porto Palafítico

Porto Palafítico, em Comporta (Foto: Trip To Follow)

Porto Palafítico, em Comporta (Foto: Trip To Follow)

De volta a Comporta, dedique um fim de tarde para assistir ao pôr do sol do Porto Palafítico da Carrasqueira. O cais de madeira construído pela comunidade local há mais de dois séculos é o local perfeito para relaxar depois de um dia agitado.

O passadiço de madeira foi feito para facilitar a entrega de pesca na margem do Rio Sado, que tem muita lama e é rasa.

O Porto Palafítico é famoso por ter um belo pôr do sol (Foto: Treip To Follow)

O Porto Palafítico é famoso por ter um belo pôr do sol (Foto: Treip To Follow)

Você pode caminhar pelo pequeno labirinto que se formou por ali e achar cantinhos lindos para fotos ao lado de barcos pesqueiros e, por que não, brindar com um delicioso espumante. O Sublime Comporta organiza o passeio até lá.

|Passeio a cavalo

Passeio a cavalo nos arrozais (Foto: Trip To Follow)

Passeio a cavalo nos arrozais (Foto: Trip To Follow)

Um dos passeios mais marcantes para mim durante os dias que tivemos no Sublime Comporta foi o passeio a cavalo pelos campos de arroz e por uma praia ddeserta.

Eu, que nunca tinha montado, estava bastante ansiosa. Mas a linda (e um póuco preguiçosa) Marzia me levou para um passeio bem tranquilo e gostoso.

Nós fizemos um tour de 1h30 com a empresa pioneira Cavalos na Areia e cruzamos cenários surpreendentes. Os cavalos são lindos, bem cuidados, dóceis e se divertem entre eles (quem não monta pode observá-los nesse cenário).

Passeio a cavalo pela praia

Passeio a cavalo pela praia

No nosso grupo, inclusive, estava o cavalo que a Madonna gravou um de seus clipes enquanto vivia em Portugal. A experiência de 1h30 custa 70 euros por pessoa, mas se você preferir algo privativo, é preciso pagar mais 150 euros (o grupo) para um guia.

Além do passeio a cavalo, é possível fazer passeios de bicicleta pela faixa dourada de areia da Península de Tróia ou então fazer um passeio de caiaque nos arrozais.

|Experiências no Sublime Comporta

Restaurante Food Circle do Sublime Comporta (Foto: Trip To Follow)

Restaurante Food Circle do Sublime Comporta (Foto: Trip To Follow)

O Sublime Comporta também oferece várias experiências gastronômicas. A que mais gostamos foi o Food Circle. Ele fica localizado no meio do jardim do hotel e, como o próprio nome diz, é um restaurante circular, intimista e que acomoda até no máximo 12 pessoas acomodadas em um balcão (mínimo 6 pessoas). Por lá, tudo é preparado na frente dos clientes e finalizado no fogo central da estrutura. A ideia é fazer referência à tradicional forma de cozimento de seus ancestrais. Veja como foi nossa experiência no Sublime Comporta.

Reserve sua estadia no São Lourenço do Barrocal e no Sublime Comporta!

Assista aos stories do Trip To Follow em Comporta (destaques Alentejo e destaques Comporta)!

O Trip To Follow conheceu o Sublime Comporta à convite da TL Portfolio.

Tags:  

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>