Como é se hospedar em Airbnb

Sinta-se como um local no seu destino

Não é só um roteiro bem elaborado que faz da sua viagem algo inesquecível. Você pode, claro, montar um esqueleto de todos os pontos turísticos ou não turísticos que você quer conhecer, mas costumo dizer que uma viagem só fica completa se tiver inclusa uma boa culinária e uma boa hospedagem.

Claro que você não precisa visitar restaurantes famosos e experimentar a comida local todos os dias, mas dedicar ao menos uma refeição para isso deixa a viagem ainda mais rica.

JÁ SEGUE O TRIP TO FOLLOW NO INSTAGRAM? @TRIPTOFOLLOW

O mesmo acontece com a hospedagem. A melhor forma de sentir a real atmosfera local e poder ter um pouco da experiência do que é ser um local é se hospedar onde essa imersão é possível, ou então se hospedar como o “próprio local”.

E foi o que fizemos durante nossa longa temporada em Lisboa, Portugal, em maio de 2019. Nossa escolha – completamente certeira – foi uma casinha charmosa e aconchegante que encontramos no Airbnb.

Entrada da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Entrada da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Como a estadia seria dividida entre passeio e trabalho, precisávamos montar uma “base” bem localizada e ao mesmo tempo com estrutura para eu conseguir trabalhar, ajeitar minhas coisas, esticar minhas roupas e ter meu espaço pra relaxar.

Leia também

Escolher o nosso cantinho para nossos dias por lá não foi uma escolha tão fácil. Isso porque o Airbnb apresenta um mundo de hospedagens ao redor do planeta e tem opções que agradam todos os gostos e bolsos.

Não é por acaso, o Airbnb atualmente abrange mais de 191 países e 81 mil cidades, sendo uma plataforma que já conectou mais de meio bilhão de anfitriões com hóspedes, que já fizeram check-in em imóveis em todo o mundo desde sua fundação em 2007.

Sala da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Sala da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Para vocês terem uma ideia um pouco mais ampla de como o Airbnb caiu no gosto dos viajantes, mais de 75 cidades em todo o mundo já receberam pelo menos um milhão de pessoas!

A nossa casa era pequenininha, com dois andares – sendo o segundo apenas para o quarto e com visão para o resto do ambiente -, com cozinha equipada, televisão, internet e localizada em uma rua pequenininha, também conhecida como “Beco” – saudades – e há poucos metros da Torre de Belém, um cartão-postal de Lisboa. Ai ai, só de lembrar do nosso caminho de “idas e vindas” bate uma saudade… Sim, apegamos!

A uma distância também fácil de ser alcançada caminhando, está o Padrão dos Descobrimentos, o Museu Nacional dos Choches, o Mosteiro dos Jerônimos, o MAAT, os famosos e originais Pastéis de Belém e o Museu da Marinha. A Avenida Brasília, uma das principais da cidade e que abrange boa parte do litoral também ficava logo ali.

Quarto da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Quarto da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Para que vocês fiquem um pouco mais localizados, em um dia completo de folga eu caminhei da casa até a Avenida Augusta pelo Rio Tejo. Passei inclusive pela famosa Ponte 25 de Abril, pela LX Factory e pela Praça do Comércio. Caminhei muito, mas vale a pena. Localização é tudo, né?

E mesmo sendo perto de tudo, a casa fica em um lugar silencioso e longe do “vuco-vuco” de turistas. Resumo da ópera: testado e aprovadíssimo se hospedar em Airbnb.

Detalhes da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Detalhes da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

|Outras experiências

Antes que alguém pense que Airbnb só é bom quando você tem bastante tempo no destino, já aviso que não. Vale muito a pena escolher uma casa ou um apartamento para estadas curtas também. Nós nunca dividimos o apartamento, sempre optamos por alugar o espaço inteiro, mas já tivemos experiências curtas e longas.

Nosso studio no Porto, em Portugal (Foto: Trip To Follow)

Nosso studio no Porto, em Portugal (Foto: Trip To Follow)

Durante nossa temporada em Portugal, alugamos um carro em Lisboa e fomos em uma sexta-feira a noite para o Porto, cerca de 320 km de Lisboa, e ficamos até o domingo por lá.

Dessa vez optamos em ficar em um studio que encontramos no Airbnb muito bem localizado. Deixamos o carro no estacionamento o fim de semana inteiro e fizemos absolutamente tudo a pé. Ficamos na Rua Santa Catarina, onde tudo acontece e a rua que leva para todos os lugares.

Tivemos uma boa experiência em seguida, em Faroe Islands. Sim, distante de tudo, o conjunto de pequenas ilhas no meio do nada também tem Airbnb. Nós optamos por uma casinha charmosa na capital, Tórshavn, e ficamos durantes belos 5 dias com nosso ponto fixo lá enquanto rodávamos pelas outras ilhas do país.

Nossa casa do Airbnb em Faroe Islands (Foto: Trip To Follow)

Nossa casa do Airbnb em Faroe Islands (Foto: Trip To Follow)

Além desses destinos, durante nossa passagem por Anchorage, no Alasca, também optamos por uma casa. Dessa vez, como estávamos em 4 pessoas, escolhemos um ambiente maior, com 2 quartos, sala cozinha, lareira e jardim. Melhor opção para sentir como é ser um local em um lugar com uma atmosfera tão diferente da que estamos acostumados.

Nossa casa do Airbnb em Anchorage, Alasca (Foto: Trip To Follow)

Nossa casa do Airbnb em Anchorage, Alasca (Foto: Trip To Follow)

Será que gostamos das experiências? Veja abaixo as vantagens de se hospedar em um Airbnb:

|É seguro

Segurança é provavelmente um dos maiores medos dos “hóspedes de primeira viagem”. Mas já aviso: se hospedar em um Airbnb é muito seguro! O Airbnb tem regras bastante rígidas de funcionamento e um serviço de atendimento ao consumidor de nível internacional.

Outra forma de você se sentir ainda mais seguro antes de escolher sua acomodação é ler atentamente os comentários de outras pessoas que já se hospedaram lá. Além disso, o Airbnb também destaca “perfis verificados” para garantir que você não caia em nenhuma cilada. Os superhost são os anfitriões com 10 ou mais viagens por ano, 90% de taxa de resposta, 80% de notas 5 estrelas e raros cancelamentos.

Nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Outro fator importantíssimo é que o Airbnb gerencia todo o processo de pagamento e recebimento através da plataforma deles. Significa que você não terá que lidar diretamente com uma transferência, um depósito etc. Assim nenhuma das partes é prejudicada e seu dinheiro fica seguro. O pagamento é obrigatoriamente feito através do cadastro de um cartão de crédito no sistema. Não tem segredos.

Cozinha da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Cozinha da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

|Se sentir como um local

Como falei no começo do texto, você pode se sentir como um local ao se hospedar em um Airbnb. Isso porque além de escolher a melhor localização para ficar próximo de pontos de interesse, você terá vizinhos “reais”, ficar numa rua “real” – não em um centro lotado de hotéis -, ficar próximo de restaurantes “reais” – visitados pelos moradores da região e não por turistas.

Além disso, você não tem hora para acordar senão perde o café da manhã, não precisa passar diariamente por uma recepção, pode fazer sua própria comida com os ingredientes que comprou no mercadinho da esquina, pode fazer um brigadeiro e assistir Netflix naquela noite mais preguiçosa. Nada mal! Você terá uma experiência muito mais real do que é viver na cidade que está visitando.

Detalhes da cozinha da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Detalhes da cozinha da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

|Economizar

Claro que tem opções com preços altíssimos, mas se sua intenção na viagem é economizar, optar por um Airbnb pode ser a melhor opção.

Isso porque você acha casas e apartamentos mais baratos que hostels e até mesmo hotéis e que com certeza vai cumprir com as suas expectativas e com aquilo que você precisa.

Você pode usar e abusar dos filtros oferecidos no site e procurar por preços, se quer o espaço inteiro ou só um quarto, se quer com cozinha, com estacionamento, com piscina, com academia, se permite animais, etc. Assim você vai adequando tudo ao seu bolso.

Quarto da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Quarto da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

|Experiências

Se você quer ir além da sua hospedagem, a Airbnb também tem as Experiências, lançadas em 2016. São atividades oferecidas por locais – e não guia turísticos -, que fazem com que o turista viva ainda mais profundamente o destino.

Elas podem variar de oficinas a longas caminhadas e estão disponíveis para vários níveis de habilidade e interesses. Todas as experiências são analisadas pelo Airbnb. Que tal experimentar uma dessas na sua própria cidade?

Você não precisa ficar em uma acomodação no Airbnb para reservar uma experiência.

Que tal ter uma experiência com uma aula de stand up paddle (Foto: Pxhere)

Que tal ter uma experiência com uma aula de stand up paddle (Foto: Pxhere)

|Luxo

Você também pode usar o Airbnb pra deixar sua viagem mais luxuosa com o Airbnb Luxe, uma nova experiência de luxo que torna as viagens personalizadas mais acessíveis a todos.

Que tal se hospedar em uma ilha inteira na Polinésia Francesa? Ou em uma mansão em Hollywood? Ou prefere um castelo na França? O Airbnb Luxe oferece acesso a propriedades únicas e espetaculares, com designers de viagens exclusivos por trás da organização de experiências e serviços personalizados, tornando cada estadia verdadeiramente mágica.

Chateau d’Estoublon, Provence, França (Foto: Divulgação)

Chateau d’Estoublon, Provence, França (Foto: Divulgação)

|Ter uma hospedagem diferente

Você também pode escolher uma hospedagem “fora do comum” sem ter que investir tanto como as opções da categoria de Luxo. O Airbnb também reúne centenas de cabanas, chalés, bangalôs, iglus, barco-casa, casas temáticas, casas na árvore, trailers, casa-ônibus, etc. É um mundo de opções que teríamos que viver umas 50 vidas para conseguir conhecer todas.

Para você ter uma ideia de algumas opções que o Airbnb oferece, é possível se hospedar em um moinho em Amsterdam, em um Hotel Astronômico em Paiguano, no Chile; em uma “Bota” em Tasman, na Nova Zelândia; em uma Casa Cubo em Rotterdam, na Holanda; uma Bolha no Vale Guadalupe, no México; ou então em uma Casa de Bambu, em Bali.

Casa Cubo (Foto: Divulgação)

Casa Cubo (Foto: Divulgação)

|Dicas antes de escolher seu Airbnb

– Decida qual tipo de acomodação você quer (studio, casa, apartamento, mansões, cabanas etc). Isso depende muito do tipo de viagem que você vai fazer;

– Estude as localizações e opte por um Airbnb que seja “prático” para você (perto de pontos turísticos, lugar tranquilo, perto de metrô, ponto de ônibus, etc);

– Use e abuse dos filtros do site do Airbnb. Deixe sua pesquisa bastante afunilada para você encontrar o seu cantinho perfeito. São inúmeras opções de filtros;

– Faça um levantamento dos seus lugares favoritos para se hospedar;

– Dedique tempo para ler o anúncio do anfitrião e, claro, os comentários de quem já se hospedou por lá;

– Antes de confirmar sua reserva, é necessário passar por uma aprovação. Aproveite para tirar suas dúvidas e deixe mensagens ao anfitrião. A maioria responde muito rápido.

– Fique atento ao preço final. Quando fechamos uma reserva pagamos a diária da hospedagem + a taxa da Airbnb. Alguns anfitriões cobram uma taxa de limpeza, outros não;

– Depois que a reserva for confirmada, combine com o anfitrião sua chegada. Entre em contato para saber se você será recebido por alguém, se a fechadura da casa é com senha, etc. O mesmo deve ser feito para o check-out.

– Lembre-se de deixar seu feedback depois da sua estadia. Você vai ajudar outros viajantes!

Entrada da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Entrada da nossa casa do Airbnb em Lisboa (Foto: Trip To Follow)

Tags:  

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>