Governo libera entrada de cruzeiros em Fernando de Noronha

Fernando de Noronha não recebe cruzeiros marítimos com regularidade há 7 anos e é administrado com forte rigor ambiental e de preservação

Fernando de Noronha, um dos ecossistemas mais sensíveis de biodiversidade do Brasil, é um dos destinos mais desejados no país. Famosa por suas praias maravilhosas – incluindo a praia do Sancho, eleita como a mais bonita do mundo -, e por seus preços altíssimos, a ilha provavelmente vai se tornar mais acessível. Ou ao menos vai receber mais turistas.

Isso porque o governo decidiu liberar a entrada de cruzeiros em Fernando de Noronha. Além disso, o arquipélago vai receber 12 novos recifes artificiais e naufrágios de embarcações para criar novos pontos de mergulho.

A informação foi confirmada pelo senador Flávio Bolsonaro, que esteve na ilha com o presidente da Embratur, Gilson Machado. Segundo ele, o governo quer “desatar os nós” da legislação para que seja possível ampliar a exploração turística da região.

Fernando de Noronha (Foto: Pxhere)

Fernando de Noronha (Foto: Pxhere)

Fernando de Noronha não recebe cruzeiros marítimos com regularidade há 7 anos e é administrado com forte rigor ambiental. Com a mudança, a ilha vai passar a receber embarcações com mais de 600 passageiros.

Vale ressaltar que no ano passado o presidente Jair Bolsonaro havia criticado a taxa de preservação cobrada na ilha.

Atualmente o ingresso do Parque Nacional Marinho Fernando de Noronha custa R$ 111 para brasileiros e R# 222 para estrangeiros. A arrecadação deste ingresso tem cerca de 70% do seu valor revertido a ações de melhorias diretas ao Parque Nacional.

Além disso, os turistas também devem pagar uma taxa de permanência, conhecida como Taxa de Preservação Ambiental. Um dia custa R$ 75,93.

O que você acha dessa decisão?

Tags:  

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>