Tudo que você precisa saber antes de ir para Dubai

Dubai é totalmente artificial, mas também é surpreendente. Em constante evolução, o emirado mais moderno dos Emirados Árabes está focado no turismo

Dubai, nos Emirados Árabes, é aquele destino que ou você sonha em conhecer, ou não faz questão. Confesso que não estava nos meus planos ir tão cedo para lá, mas com a decisão de ir para as Maldivas na nossa lua de mel, decidimos acrescentar o destino no roteiro. E que surpresa boa! Toda nossa viagem foi organizada pela Cays Turismo, com parceiros Alpha DMC, Kangaroo Tours e Version Unique.

Dubai é uma cidade nova, tem apenas 50 anos, mas é conhecida pela ostentação, pelos prédios gigantes, pela riqueza, pelos hotéis incríveis e ruas recheadas de Ferrarir. É uma cidade luxuosa, moderna e megalomaníaca, sim, mas com um “quê” a mais.

Dubai visto do alto (Foto: Trip To Follow)

Dubai visto do alto (Foto: Trip To Follow)

Dubai também é uma cidade “montada”, é uma cidade artificial, foi (está sendo) criada também com foco no entretenimento. Apesar disso, nada tem a ver com Las Vegas, nos Estados Unidos, como eu imaginava. A atmosfera da cidade é bem diferente e parece ter muito mais vida “local” do que o paraíso dos casinos da América.

Leia também:

É um destino em evolução e transformação, por isso planejamos voltar em poucos anos. Acho que de lá sai o primeiro carro voador. Já pensou? Em tão pouco tempo Dubai conquistou uma das melhores economias do Oriente Médio e está entre os lugares mais ricos do mundo.

Só para você ter uma ideia, além de reunir arranha-céus, Dubai tem uma pista de esqui (lembre-se que a cidade está no meio do deserto), tem o único hotel 7 estrelas do mundo (o Burj Al Arab, coberto de ouro), tem o prédio mais alto do mundo (o Burj Khalifa e seu recorde registrado no Guiness), é casa do maior anel de ouro do mundo (ele pesa 60 quilos), tem o maior shopping do mundo (o Dubai Mall), a maior quantidade de tubarões-cinza em um aquário e por ai vai.

Bom, se eu tivesse dinheiro investiria lá com certeza! Parece um poço de riqueza e desenvolvimento sem fim!

JÁ SEGUE O TRIP TO FOLLOW NO INSTAGRAM? @TRIPTOFOLLOW

Souk mais luxuoso dentro do Dubai Mall (Foto: Trip To Follow)

Souk mais luxuoso dentro do Dubai Mall (Foto: Trip To Follow)

A maior novidade que está por vir é o “The World”, um arquipélago artificial com aproximadamente 300 ilhas privadas e mais de 9 milhões metros quadrados que formam o mapa-mundi. Elas vão reunir casas particulares, resorts e ilhas comunitárias e não vão ser interligadas por pistas. Para ir de uma ilha para outra, só pelo mar ou pelo ar. As construções são para a Expo Dubai 2020.

Apesar de ser rico em petróleo – meio de lucro finito, mas muito valorizado -, a receita de Dubai que vem do petróleo é de apenas 6%, sendo turismo, comércio e setor imobiliário as principais fontes de renda.

Verdade que nos divertimos muito e fizemos coisas diferentes. Em breve vou deixar o roteiro completo para vocês.

|Localização

Os Emirados Árabes estão localizados no sudeste da Península Arábica e faz fronteira com Arábia Saudita e Oman. São banhados pelo Golfo Pérsico e o Golfo de Oman e tem proximidade com o importante Estreito de Hormuz.

O Golfo Pérsico, que também é conhecido como o “Caribe das Arábias”, é rodeado por águas cristalinas e tons azulados bem bonitos! Por isso Dubai também tem boas praias para quem quer curtir areia e água salgada.

Os Emirados Árabes são formados por 7 emirados. Além de Dubai, tem Abu Dhabi, Xarja, Ajmã, Umm al-Quwain, Ras al-Khaimah e Fujeira. Um emirado é como se fosse um estado, uma unidade de um país. Sendo assim, é como se os Emirados Árabes tivessem 7 estados, mas cada uma com seu Sheikh (líder).

Um dos barquinhos que nos levam para os souks tradicionais (Foto: Trip To Follow)

Um dos barquinhos que nos levam para os souks tradicionais (Foto: Trip To Follow)

Apesar de não ser a capital dos Emirados (que é Abu Dhabi), é o mais populoso, com aproximadamente 2,2 milhões de habitantes. A população é formada por 15% de árabes e 85% estrangeiros, tendo então uma cultura cosmopolita.

|Como chegar

A companhia aérea mais importante dos Emirados Árabes é a Emirates Airlines, pela qual voamos. Decolamos em um Airbus A380 – aquele maravilhoso, de dois andares – em um voo direto de aproximadamente 15 horas.

Apesar de ser um avião bem mais confortável (estávamos na econôm

Um dos barquinhos que nos levam para os souks tradicionais (Foto: Trip To Follow)

Um dos barquinhos que nos levam para os souks tradicionais (Foto: Trip To Follow)

ica), o atendimento não é dos mais cuidadosos e a comida não é das melhores. Estávamos no fim do avião e só tínhamos opção de uma das opções (chicken or pasta?) porque a outra já tinha acabado àquela altura.

Apesar disso, há muitas opções de filmes, séries, jogos e visualizações de mapas e rotas da viagem (adoro!).

Os voos costumam ser caros, acima de R$ 4000, mas sempre aparecem promoções com preços mais acessíveis. Nós pagamos R$ 3400. A Emirates tem voos diretos para Dubai saindo de São Paulo (Aeroporto Internacional de Guarulhos) e do Rio de Janeiro (Aeroporto Internacional do Galeão).

Outra opção é voar com a Qatar Airways, com uma escala em Doha; Turkish Airlines, com conexão em Istambul; KLM, com conexão em Amsterdam; e a Air France, com conexão em Paris.

Frame Dubai (Foto: Trip To Follow)

Frame Dubai (Foto: Trip To Follow)

|Visto

Desde junho de 2018, após um acordo bilateral, brasileiros passaram a não precisar mais de visto para viajar para os Emirados Árabes.


Seguros Promo

Dessa forma é possível visitar o país por até 90 dias a cada 12 meses apenas com um carimbo na entrada. Sendo assim, você pode entrar nos Emirados Árabes Unidos, passar alguns, viajar para outro país e voltar para lá para pegar o seu voo de retorno ou ficar mais alguns dias em uma das cidades.

A única exigência é apresentar um passaporte com ao menos seis meses de validade pela frente.

|Drone

É preciso tirar uma licença para voar com drone em Dubai. Caso contrário, você não poderá nem entrar com ele e terá que deixá-lo no aeroporto. Explicamos o passo a passo para tirar essa licença.

Foto do Love Lake feita com drone (Foto: Trip To Follow)

|Fuso horário

Dubai está 7 horas à frente do horário de Brasília (UTC/GMT + 4).

|Tomada e voltagem

Tomada: G – três pinos retangulares que formam o desenho de um triângulo (dois na horizontal e um na vertical).
Voltagem: 220v. Não esqueça de levar um adaptador universal!

|Idioma

O árabe é a língua oficial de Dubai, mas o inglês é língua franca da cidade e muito falada por locais

|Moeda

A moeda usada nos Emirados Árabes é o Dirham (AED) e o câmbio é muito parecido com o real, sendo R$ 1,11 equivalente a 1 AED. (cotação em janeiro de 2020).

Muitos lugares aceitam dólar e euro, mas o dólar é a moeda mais indicada para troca de dinheiro por lá.

|É seguro?

Muito, acredite! Dubai é uma das cidades mais seguras do mundo, com índice de criminalidade quase zero. Nós vimos muita polícia – na maioria das vezes dirigindo um carrão como Bentley, Bugatti etc.

De qualquer forma, como em todo lugar, mulheres que viajam sozinhas precisam ter atenção redobrada.

|Quando ir e quanto tempo ficar

A melhor época para conhecer Dubai é no inverno, entre outubro e abril, quando as temperaturas ficam mais amenas, entre 20°C e 30°V. Essa é também a alta temporada e consequentemente a época mais cara e mais cheia.

Nós fomos em novembro e o dia com mais picos de temperatura foi quando fomos para o deserto e pegamos muito calor durante o dia e frio durante a noite (acho que estava uns 15°C).

Nos outros dias de passeios por lá o clima estava quente, mas agradável. Logo mais vou falar sobre as vestimentas.

No verão, entre junho e setembro, as temperaturas são muito mais altas, atingindo facilmente os 50°C e com clima ainda mais úmido. Apesar de ser a época mais barata, algumas atrações como o Miracle Gardens e a Global Village ficam fechadas.

Nós ficamos 6 dias completos e sim, teríamos ficado mais! Reservar 6 dias para Dubai e 2 para Abu Dhabi seria o plano perfeito.

Mas mesmo assim deu para aproveitar MUITO, conhecer todos os principais pontos turísticos e fazer algumas atividades diferentes como passear de helicóptero e dirigir uma Ferrari.

Voo de helicóptero por Dubai (Foto: Trip To Follow)

Voo de helicóptero por Dubai (Foto: Trip To Follow)

|O que vestir

Dubai é um destino muito turístico e nem todo mundo toma o devido cuidado com as vestimentas. Muito provavelmente você não terá problema se usar shorts e camiseta, por exemplo, mas recomendo evitar.

Emirados Árabes é um país muçulmano e mesmo que Dubai seja o emirado “mais moderninho” não custa respeitarmos minimamente suas tradições. No geral optei por calças de tecido leve (como linho), vestidos e saias longas e nenhum decote. Sempre saia do hotel com uma pashmina e cobria os ombros quando achava necessário. Homens podem usar bermuda tranquilamente.

Uma das ruas do souk de Dubai (Foto: Trip To Follow)

Uma das ruas do souk de Dubai (Foto: Trip To Follow)

 

De qualquer forma também é válido estar prevenido com um casaquinho. Praticamente todos os shoppings, restaurantes e qualquer outro lugar fechado fica com o ar condicionado com a temperatura bem baixa. Então é frio!

Em relação aos sapatos, não se preocupe. Você pode sim usar rasteirinhas e qualquer outro tipo de sapato aberto, salto alto etc. Eu usei rasteirinha todos os dias.

Se você for visitar Abu Dhabi, tome mais cuidado com o look que escolhe: eles são mais conservadores. Além disso, você provavelmente visitará a Mesquita Sheik Zayed e é preciso estar completamente coberta (inclusive os cabelos). Isso é uma regra para todas as mesquitas do país.

|Como se locomover

O transporte público é um bom reflexo da modernidade de Dubai, que tem o metrô mais luxuoso do mundo, claro. As cabines têm assentos acolchoados, ar condicionado, mesas etc. Também tem vagões dedicados a mulheres e crianças e estações com ar-condicionado que mais lembram shoppings.

As duas linhas disponíveis (vermelha e a verde, com 47 estações e 75 km de linha) atendem bem aos turistas que querem conhecer os principais pontos turísticos da cidade e podem ser combinadas com os sistemas de tram (1 linha, 11 estações e 10,6 km de linha) e trolley (grátis, mas não funciona o dia todo e ainda está em fase de implementação). Todos podem ser pagos com o mesmo cartão.

O valor da passagem é cobrado por zona e, dessa forma, você só paga no final da viagem. Os cartões batizados como NOL tem várias categorias e você pode decidir qual o melhor se encaixa ao seu roteiro (os passes diários variam entre AED 20 e AED 40 – dependendo do tipo de vagão – e com direito a número ilimitado de viagens e troca de zonas). O custo de expedição do cartão é de AED 2. Veja todas as linhas de Dubai.

Quem preferir conhecer os principais pontos da cidade de forma mais rápida também pode optar pelos tradicionais ônibus hop-on hop-off (a partir de AED 110).

Táxi e Uber são opções para quem vai ficar pouco tempo já que os preços não são tão convidativos (aproximadamente AED 2 por km). Os táxis com teto rosa são dirigidos por mulheres e dedicados às mulheres.

Os táxis já saem do aeroporto com um valor de AED 25. Com isso, uma viagem até o centro pode chegar a custar até AED 80. Ah! Por falar em aeroporto, essa região é um caos de carros qualquer hora do dia. Por isso, programe-se para ir cedo e não perder o seu voo.

E, ao contrário do que muita gente pode pensar, alugar um carro por lá não custa uma fortuna. Lógico que estamos falando de carros “comuns” e não os de alto padrão que são constantemente vistos pelas ruas. Nós alugamos por 3 dias e nos custou R$ 450. Lembre-se que é preciso ter a licença internacional para dirigir por lá (PID – Permissão Internacional para Dirigir). Se você tiver com chip local e internet, poderá usar o Waze ou o Google Maps tranquilamente.

Carro que alugamos em Dubai (Foto: Trip To Follow)

Carro que alugamos em Dubai (Foto: Trip To Follow)

|Receptivo

Uma das opções lá em Dubai é o turismo receptivo. A Cays Turismo organizou muitos dos nossos passeios com a Alpha DMC e, nesses casos, não precisamos nos preocupar com nada além de estar no lobby do hotel no horário marcado.

Entre os passeios, destacamos os Souks (mercados de ouro e de especiarias) e o safári no deserto, em um carro 4×4 pelas dunas de Dubai, finalizado com show e música típica em uma tenda na areia. Incrível!

Nos dias de tour, o guia da Alpha nos buscava com uma van no nosso hotel, nos acompanhava durante todo o passeio e nos deixava ao final do dia de volta no hotel.

Trajes típicos durante o jantar no deserto (Foto: Trip To Follow)

Trajes típicos durante o jantar no deserto (Foto: Trip To Follow)

|Onde se hospedar

Dessa vez não ficamos em nenhum hotel exuberante, de frente para o mar ou na desejada Palm Jumeirah. Apesar disso, ficamos a poucos metros de atrações como o Burj Khalifa e o Dubai Mall.

O Rove Downtown não é de luxo, mas é um hotel moderno, com quartos amplos, algumas facilidades como restaurante e mercado, estacionamento e muitíssimo bem localizado. Foi a opção perfeita e com bom custo para ficarmos os 6 dias em Dubai. A diária em novembro custa aproximadamente R$540.

Nosso quarto no Rove Downtown (Foto: Trip To Follow)

Nosso quarto no Rove Downtown (Foto: Trip To Follow)

|Preços e gorjetas

No geral, achei os preços de passeios e comidas bastante semelhantes aos de São Paulo, que não é uma cidade barata.

Dubai tem uma oferta muito grande de restaurantes, das mais típicas à internacional. Se você não optar pelos restaurantes mais desejados, vai gastar de R$ 80 a R$ 150 por refeição. Os preços, claro, são mais baixos se você optar por uma rede de fast-food.

Se quiser um jantar especial (e salgado, não no sentido literal), faça uma reserva em um dos restaurantes do Burj Al Arab. Um menu degustação pode chegar a R$ 800.

Lembre-se que Dubai é um destino muçulmano e o álcool é proibido. De qualquer forma, hotéis e restaurantes têm licença para vender bebida aos turistas, mas consequentemente os preços são bem altos. Na balada, uma long neck pode custar R$ 30 e um drinque mais elaborado pode chegar aos R$ 60.

Mercado de especiarias em Dubai (Foto: Trip To Follow)

Mercado de especiarias em Dubai (Foto: Trip To Follow)

Se você quiser “se esbaldar” e “fazer tudo que tem direito”. prepare o cartão de crédito! Só para vocês terem ideia, um voo de helicóptero de 12 minutos custa AED 579 O aluguel de uma Ferrari por 1 hora custa AED 900.

Os preços dos hotéis variam de acordo com a época do ano, mas sempre tem opções para todos os gostos e bolsos. é possível achar uma diária em um hotel bom por R$ 400. As opções 5 estrelas partem de R$ 1000 (só para vocês saberem, o Burj Al Arab tem sutítes que chegam a custar 24 mil dólares).

Já a gasolina… Tá aí uma coisa barata: AED 2,09 o litro (valor referente a novembro de 2019).

Dar gorjeta é opcional em Dubai. Geralmente nos restaurantes mais caros os garçons esperam uma contribuição de 10 a 20 % do valor da conta.

Ferrari que alugamos em Dubai (Foto: Trip To Follow)

Ferrari que alugamos em Dubai (Foto: Trip To Follow)

|Seguro Viagem e chip de celular

Alguns países exigem um Seguro Internacional, mas recomendamos que você tenha um mesmo para os destinos onde não existe a obrigatorieade.

Um seguro viagem pode sair mais barato do que você imagina. Nós recomendamos e sempre fechamos com a SegurosPromo. Clique aqui e faça uma cotação (use o código TRIPTOFOLLOW5 para 5% de desconto).

Ter um chip de celular durante uma viagem internacional é uma mão na roda. Dá para sair do avião já conectado! Nós recomendamos e sempre usamos o chip da SimPremium (use o código para 10% de desconto).

Assista aos nossos stories de Dubai no Instagram: Dubai I | Dubai II | Abu Dhabi

Quer organizar sua viagem para Dubai? Entre em contato com a Cays Turismo e apresente o código #TTF! Eles organizaram toda nossa viagem e foi incrível!

Tags:  

  1. PATRICIA DE CARVALHO PEREIRA FERREIRA says:

    Amei ler seus relatos! Me preparando para essa viagem rs…

    • Tati Sisti says:

      Que bom saber disso 🙂
      Com certeza vai ser uma viagem linda!
      Beijos, Tati

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>