América do Sul

Tudo que você precisa saber antes de ir para San Andrés

San Andrés é um caribe acessível, "rústico" e com um mar de sete cores perfeito para quem quer ficar em contato com a vida marinha

San Andrés, na Colômbia, é um Caribe mais acessível que dá baile em muitos outros lugares badalados da região. Apesar da ilha ter ganhado popularidade entre os brasileiros nos últimos tempos, ela não fica abarrotada como comumente é divulgado. Aliás, pelo contrário. Mas é preciso saber como aproveitá-la para tirar o melhor da ilha.

Além das praias – que dependendo da época não são tão cheias -, a ilha tem cantinhos onde é possível mergulhar com snorkel e ficar 100% em contato com a natureza, sem mais ninguém por perto. Muitas vezes os turistas não sabem desses lugares ou pelo simples fato de não estarem com um veículo, não têm a oportunidade de conhecê-los. Por isso, alugar uma motinho pode ser muito bom para otimizar ainda mais sua viagem. Veja o roteiro completo de 7 dias em San Andrés!

Para viajar por San Andrés você tem que deixar a ideia de luxo de lado e curtir o paraíso com o “pé no chão”, literalmente. A ilha é “rústica” e passa longe daquele glamour que encontramos em resorts do México ou de Punta Cana, por exemplo.

A maioria dos hotéis é simples (claro que tem um ou outro para os mais exigentes) e ficar em algo mais local deixa a viagem ainda mais surpreendente. Em alguns casos, gastar dinheiro com hospedagem não é a melhor escolha principalmente se você quiser aproveitar todo seu tempo para curtir as belezas naturais do local.

JÁ SEGUE O TRIP TO FOLLOW NO INSTAGRAM? @TRIPTOFOLLOW

Vista de cima de uma das piscinas naturais de San Andrés (Foto: Gabriel Bester)

Vista de cima de uma das piscinas naturais de San Andrés (Foto: Gabriel Bester)

Claro que se seu budget for maior, você pode investir em algum hotel da zona hoteleira, no norte da ilha, e se hospedar em um hotel com mais estrutura como o Decameron, GHL Relax Hotel ou Sol Caribe, por exemplo. Mas vale lembrar que a ilha é bem pequena e o “centrinho” não fica tão distante se você não escolher essa área para ficar.

San Andrés é simples, pobre e bem precário, mas tem um povo – aproximadamente 90 mil pessoas – humilde e receptivo. Nos hotéis mais simples você provavelmente não terá água quente (sim, é algo “raro” na ilha).

LEIA TAMBÉM

O saneamento básico ainda é precário, apesar de passar por melhorias constantes. Na alta temporada, de dezembro até fevereiro, a falta de água é um problema comum. Zonas hoteleiras e estabelecimentos turísticos têm prioridade para receber água potável nesses casos. Além disso, San Andrés não tem fonte de água doce e toda a água de lá é dessalinizada.

A natureza em San Andrés, mas especificamente o mar, enche os olhos. Não é por acaso que ganhou o nome de ilha com o “mar de sete cores”. De fato, a água quentinha tem uma paleta azul e verde impressionante e uma vida marinha incrível.

Mergulho em uma das piscinas naturais (Foto: Gabriel Bester)

Mergulho em uma das piscinas naturais (Foto: Gabriel Bester)

E por falar em vida marinha, San Andrés é considerado um dos melhores lugares do Caribe para a prática de mergulho com cilindro. A área foi reconhecida pela UNESCO em 2001 como uma “Reserva da Biosfera” chamada Seaflower, já que está inserida na 3ª maior barreira de corais do mundo, com cerca de 250 mil km². Notícia boa: mergulhar por lá é bem barato!

Quando você for para San Andrés, esqueça o relógio para curtir a atmosfera da ilha. Por falar nisso, a ilha mantém a tradição espanhola da siesta e o comércio fecha das 12h30m às 15h. Depois que reabre, ele permanece aberto até às 21h.

|Localização

San Andrés faz parte de um arquipélago que também abrange as ilhas de Providência e Santa Catalina. Menos famosas e tão lindas quanto San Andrés, elas também podem ser o destino perfeito para quem tem mais tempo para curtir a região.

Para chegar nessas outras ilhas você necessariamente vai ter que passar por San Andrés já que é preciso pegar um avião que sai da ilha e sobrevoa a região por aproximadamente 30 minutos. Outra opção é ir de arco, que também sai de San Andrés, é mais barato, mas é preciso dedicar mais tempo. O percurso dura cerca de 3 horas.

Vista do alto da Isla Johnny Kay (Foto: Gabriel Bester)

Vista do alto da Isla Johnny Kay (Foto: Gabriel Bester)

San Andrés é a maior das 3 ilhas, com uma área total de 26 km², sendo apenas 12 km de extensão. A ilha fica aproximadamente 191 km a leste da Nicarágua e a nordeste da Costa Rica, e 775 km a noroeste da costa da Colômbia.

Sua formação aconteceu devido à erupção de um vulcão que lançou pedras do fundo marinho para a superfície, criando a maioria das ilhas. Como já citamos, San Andrés tem um recife de coral a oeste, conhecido como o terceiro maior e mais belo do mundo.

|Clima e fuso horário

San Andrés faz calor o ano todo, além de também manter a temperatura da água agradável. Por isso, você pode programar sua viagem para lá em qualquer época. A temperatura máxima varia entre 30 °C e 26 °C.

O período de chuvas vai de maio até dezembro, mas na maioria das vezes é passageira e com certeza não vai atrapalhar seus planos.

Vale destacar que o arquipélago está fora da rota de furacões do Caribe. Nós do Trip to Follow fomos em maio para a ilha e, de fato, a escolha do mês foi certeira.

O GMT de San Andrés é de -5, ou seja, -2h do horário oficial de Brasília. Se for horário de verão no Brasil, a diferença será de 3 horas.

|Língua oficial

Por ser um país colombiano, a língua oficial falada na ilha é o espanhol. Apesar disso, você vai se deparar com muita gente falando um inglês “diferente” do que estamos acostumados.

Isso porque o ensino nas escolas de lá é bilíngue e muita gente também fala o inglês crioulo, que tem aspectos ingleses, africanos, franceses e castelhanos. Mas não se preocupe porque se você souber o básico das línguas, vai conseguir se comunicar.

Costa de San Andres (Foto: Gabriel Bester)

Costa de San Andres (Foto: Gabriel Bester)

|Porto livre de impostos

Sim, San Andrés é um porto livre de impostos o que torna a ilha um bom local para quem quer ir às compras. Apesar de ser simples, o centrinho da ilha é uma graça e reúne várias lojas famosas com preços bem convidativos, incluindo a famosa La Riviera.

A ilha é um duty free a céu aberto, o que consequentemente impulsiona de forma positiva a economia de San Andrés.

|Moeda

A moeda usada em San Andrés é o peso colombiano. Um real equivale a 844,61 pesos colombianos (conversão feita no dia 02/01/2019). Então prepare-se para fazer contas com muitos dígitos, mas não se assuste.

Não compensa ir para San Andrés levando real. Para seu dinheiro render, leve uma quantia em dólar e troque para peso colombiano no próprio país.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Outside good, inside better! . Uma das águas mais cristalinas que já vimos! #TripToFollowSanAndres #sanandres #colombia

Uma publicação compartilhada por Trip To Follow (@triptofollow) em

|Visto e outros documentos

Para viajar para a Colômbia os brasileiros que vão permanecer no país por até 90 dias não precisam de visto.

Além disso, o passaporte também não é obrigatório, já que você pode ingressar com seu RG (em bom estado e emitido há menos de 10 anos). Mas se você tiver conexão e for desembarcar no Panamá, por exemplo, é necessário a apresentação do passaporte.

Apesar da não necessidade do passaporte, para entrar em San Andrés é preciso apresentar a “Tarjerta de Turismo”. Você pode comprar no aeroporto e pagar em reais, ou no aeroporto da sua conexão e pagar na moeda local ou em dólar.

Essa taxa custa COL$ 109.000, cerca de R$ 130, ou US$ 35 (valores do dia 02/01/2019). No formulário você terá que preencher a data de entrada e de saída na ilha, portanto não jogue fora assim que você chegar.

Essa taxa é cobrada apenas uma vez. Com isso, se você pretende conhecer as outras ilhas do arquipélago e retornar a San Andrés, não terá que pagá-la de novo.

Em maio de 2017 a Colômbia começou a exigir a vacina de febre amarela de todos os brasileiros. Para embarcar, é preciso apresentar o certificado internacional de vacinação com aplicação de pelo menos 10 dias antes do dia da viagem.

Costa de San Andrés (Foto: Trip To Follow)

Costa de San Andrés (Foto: Trip To Follow)

|Tomada

As tomadas de San Andrés têm dois pinos chatos e um pino redondo. Não esqueça de levar um adaptador para conseguir carregar os eletrônicos. Se o seu celular foi comprado nos Estados Unidos, não vai precisar se preocupar.

|Internet

A conexão à internet na Ilha de San Andrés é via satélite e, em dias mais nublados, o wi-fi em muitos hotéis não funciona muito bem. Você pode comprar um chip da Movistar ou se desconectar na maior parte da viagem e aproveitar o free wi-fi disponível gratuitamente no centrinho da ilha.

| Como chegar

Não tem voo direto para San Andrés e você provavelmente vai fazer uma escala em Bogotá, na Colômbia, em Lima, no Peru, ou na Cidade do Panamá, no Panamá, antes de pousar no paraíso. Os turistas podem voar para lá de Avianca, Latam ou Copa, saindo do Brasil, ou pela Viva Colombia, saindo de alguma cidade do país.

Por San Andrés ter um aeroporto pequeno e com estrutura básica (tem Wi-Fi na sala de embarque), recomenda-se que, na hora de ir embora, você se apresente com pelo menos 2 horas de antecedência para evitar as longas filas na imigração.

Vale lembrar que a Colômbia tem um controle muito forte contra drogas no aeroporto, então prepare-se para ser revistado assim que entrar ou sair do país.

Vista de Rocky Cay (Foto: Tati Sisti)

Vista de Rocky Cay (Foto: Tati Sisti)

|Como se locomover

A ilha é realmente muito pequena. Por isso, vale a pena alugar uma moto, um carrinho de golfe ou até mesmo um mula (um pouco mais lento e mais caro) e ter liberdade de ir e vir na ilha.

Por incrível que pareça táxi não é uma opção barata por lá. Os veículos não têm taxímetro, o que pode deixar a viagem de um turista desatento bem cara.

Ônibus pode ser uma opção para quem quer economizar, mas é preciso ter em mente que não são muitos e que provavelmente eles vão estar bem cheios e passar em horários que talvez atrapalhem a programação pela ilha.

Alugamos uma moto na ilha (Foto: Gabriel Bester)

Alugamos uma moto na ilha (Foto: Gabriel Bester)

|Quanto tempo ficar

Costumamos dizer que mesmo que você tenha pouco tempo, deve encarar a viagem e fazer valer a pena. Ficamos uma semana (chegamos em um sábado a noite e fomos embora no sábado seguinte de manhã) e achamos ideal. Apesar de ser uma ilha pequena, você consegue se organizar para curtir as praias, mergulhar e fazer os passeios de um dia para outras ilhas próximas. Lembre-se: há muito o que fazer por lá! (Em breve colocaremos nosso roteiro completo aqui).

|É caro?

Não! San Andrés é o destino caribenho perfeito para quem não quer gastar muito e se esbaldar em praias do Caribe. Pechinchar, inclusive, funciona muito na ilha! Não tenha vergonha e você com certeza vai conseguir economizar ainda mais!

Passagem aérea: se você acompanhar promoções, pode encontrar voos por R$ 1400.

Hotel: depende de quanto você quer insistir. Mas a média de uma diária em uma pousada ok (sem luxo) varia de R$ 100 a R$ 300 para o casal. Uma diária em um hotel maior, pé na areia pode chegar a R$ 1200.

Almoço ou janta: entre R$ 20 e R$ 40 por refeição. Se seu hotel tiver cozinha, uma boa forma de economizar é fazendo compra no mercado para cozinhar. Os mercados têm produtos bem baratos.

Garrafinha de água: varia entre R$ 2 e R$ 4.

Mergulho: o batismo custa cerca de R$ 175.

Carrinho de golf / mula / moto: aproximadamente R$ 120/ R$ 150 / R$ 65 por dia (lembre-se de negociar)

Atrações pagas (La Piscinita, West View): R$ 5.

Visitas às ilhas: de R$ 17 a R$ 25.

Aluguel de jet ski: aproximadamente R$ 60 por 30 minutos.

Alugamos um jet ski e chegamos bem perto de uma pequena ilha (Foto: Gabriel Bester)

Alugamos um jet ski e chegamos bem perto de uma pequena ilha (Foto: Gabriel Bester)

|Dicas extras

  • Leve seu snorkel, você vai usar muito!
  • Nós não usamos – e não sentimos falta -, mas muitas pessoas levam sapatilhas de mergulho porque muitos lugares ficam nas pedras
  • Abuse do protetor solar
  • Faça pelo menos um mergulho próximo ao pôr do sol. O visual quando você sai do mar é impagável
  • Experimente o café colombiano, considerado um dos melhores do mundo
  • Se quiser comprar uma esmeralda colombiana, evite comprar no centro. Nas ruinhas pelos arredores você vai encontrar peças pela metade do preço
  • Não tivemos problema para voar com drone
  • Negocie, negocie e negocie

Tags:  

  1. Alline says:

    Vocês foram para Providência? Estou decidindo se vale a pena ir pra lá ou ficar apenas em San Andres

    • Tati Sisti says:

      Não fomos, mas sabemos que vale MUITO a pena. É uma San Andres mais vazia e maravilhosa!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>